De ponta a ponta, Bottas vence corrida ‘broxante’ em Abu Dhabi. Massa pontua e encerra carreira na F1 - Remanso News
Remanso, Segunda, 18 de Dezembro de 2017

De ponta a ponta, Bottas vence corrida ‘broxante’ em Abu Dhabi. Massa pontua e encerra carreira na F1

Por Souza Filho
26/11/2017 13:11

Abu Dhabi rende fotografias incríveis e proporciona um cenário incrível para a F1. Fora da pista. Dentro da pista, a última etapa da temporada 2017 foi a pior, ou uma das piores de todo o campeonato. A prova deste domingo (26) em Yas Marina foi ‘broxante’, com raríssimos momentos de alguma emoção para os fãs que acompanharam a disputa ‘in loco’ ou pela TV ao redor do mundo. Valtteri Bottas largou na pole, chegou a lidar com a aproximação de Lewis Hamilton, mas controlou a vantagem e venceu de ponta a ponta, deixando para trás a decepção de Interlagos para alcançar sua terceira vitória na temporada. O tetracampeão do mundo terminou em segundo. E Sebastian Vettel, que mal foi visto na corrida, completou o pódio após jornada noturna solitária no deserto.

Igualmente apagado, Kimi Räikkönen finalizou na quarta posição, seguido por Max Verstappen, com a única Red Bull que restou na pista. Daniel Ricciardo abandonou. Nico Hülkenberg teve de lidar com uma punição no começo da prova, mas deixou a zica para trás. Terminou na sexta posição e foi decisivo para ajudar a Renault na sua briga direta com a Toro Rosso para finalizar o Mundial de Construtores em sexto, garantindo um belo acréscimo de R$ 21 milhões na premiação a receber por parte da FOM. Sergio Pérez, Esteban Ocon e Fernando Alonso vieram na sequência.

Foi uma prova de despedidas: da McLaren-Honda e da Toro Rosso-Renault. Dos carros sem o Halo. E, principalmente, de Felipe Massa. Ao longo de 269 GPs, o brasileiro teve uma carreira marcada pela dignidade e grandes momentos, como as 11 vitórias, 16 poles e o vice-campeonato após decisão dramática em 2008. Quase uma década depois, na mesma Abu Dhabi onde se despediu no ano passado, Felipe voltou para dar seu adeus definitivo à F1. E novamente, com muita dignidade e ainda mostrando ter lenha para queimar, terminou na décima posição, até mais do que o carro da Williams é capaz de fazer, com direito a uma aproximação ao “melhor adversário”, Fernando Alonso, nas voltas finais. Massa se despede com mais um ponto conquistado e parte para novos horizontes na carreira e na vida.

A largada foi absolutamente tranquila, e desta vez Valtteri Bottas conseguiu manter a liderança da prova após partir da pole-position. Nico Hülkenberg recuperou a sétima posição perdida para Sergio Pérez cortando caminho pela curva, ganhando vantagem. Por isso, foi punido em 5s, perdendo uma boa oportunidade para ajudar a Renault na sua briga pelo sexto lugar nos Construtores. Felipe Massa chegou a ser ultrapassado por Fernando Alonso, mas conseguiu voltar ao top-10 em seguida. O único incidente na primeira volta foi a rodada da Haas de Kevin Magnussen.

A atmosfera de Abu Dhabi é espetacular, bem como o ambiente, a corrida começando com o pôr do sol e finalizando à noite. Contudo, em termos da competição propriamente dita, a prova não tinha nada de empolgante, com pouquíssimas brigas por posição, e essas restritas ao pelotão intermediário, com Lance Stroll se defendendo da forte pressão de Romain Grosjean, com os dois quase se tocando. No pelotão da frente, ninguém brigava com ninguém, e Bottas parecia caminhar para uma vitória dominante em meio a um GP sonolento demais.

Na volta 13, finalmente Grosjean fez a ultrapassagem. E que bela ultrapassagem para ganhar o 13º lugar. Foi o pico da emoção naquele começo de prova, uma vez que Stroll logo em seguida foi aos boxes para colocar pneus supermacios na sua Williams. Logo em seguida, Massa começava a sofrer a pressão da McLaren de Alonso na briga pela décima posição. Era pouco, muito pouco. A corrida era uma verdadeira procissão.
A partir da volta 15, as equipes de ponta começaram com a estratégia de pit-stops, com a Red Bull abrindo a ‘janela’. A mesma Red Bull que, pouco depois, lamentou o fim da corrida de Daniel Ricciardo. O australiano abandonou por conta de problemas hidráulicos. Bottas seguia para os boxes para fazer sua parada enquanto Hamilton continuava na pista para ganhar vantagem e tentar voltar à frente do finlandês.

Também na volta 25, Alonso aproveitou o acionamento da asa móvel para passar Massa e subir para a momentânea 11ª posição. Lewis finalmente fez sua parada no giro seguinte para a Mercedes espetar pneus supermacios. Não deu para o tetracampeão, que foi perdeu a liderança para Bottas depois do pit-stop. Lá atrás, destaque para Pascal Wehrlein, que conseguia andar à frente das Toro Rosso de Brendon Hartley e Pierre Gasly.
Depois do pit-stop, Hamilton voltou com mais ritmo em relação a Bottas e tentava se aproximar. Mas na volta 32, o britânico errou ao chegar perto do companheiro de equipe, travando os pneus. Vettel fazia uma corrida solitária, assim como Kimi Räikkönen, enquanto Max Verstappen vinha em quinto, seguido por Ocon, Carlos Sainz, Hülkenberg, Sergio Pérez e Romain Grosjean. Massa vinha em 12º. O brasileiro, contudo, ganhou duas posições depois do pit-stop de Grosjean e após a Renault errar feio no pit-stop de Sainz ao não encaixar bem a roda dianteira esquerda. Fim de prova para o espanhol.

Na metade final da prova, Alonso mostrou apreço pelo seu companheiro de equipe, Stoffel Vandoorne, e pergutou à McLaren via rádio sobre a posição do belga na pista. O motivo: o bicampeão queria ajudá-lo a terminar a corrida na zona de pontuação. Mas Stoffel vinha longe, bem atrás de Grosjean, em 12º.

Ao fim da prova, deu a lógica no mais insosso GP da temporada: num belíssimo clima de fim de feira, Bottas cruzou a linha de chegada na frente, com Hamilton em segundo. E bem mais atrás, Vettel passou em terceiro para completar o pódio. A nota de destaque, diga-se, vale para a presença de Massa novamente na zona de pontuação em Abu Dhabi, protagonizando uma despedida muito digna de carreira no Mundial de F1.

Grande Prêmio

DEIXE SEU COMENTÁRIO