Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
22.3 C
Remanso, BR
25 de março de 2019
Remanso News
  • Home
  • Bahia
  • Acabou! 2,8 mil postos da Bahia estão sem combustível, diz sindicato
Bahia

Acabou! 2,8 mil postos da Bahia estão sem combustível, diz sindicato

(foto: reprodução)

O Sindicato do Comércio de Combustíveis e Energias Alternativas e Lojas de Conveniência do Estado da Bahia (Sindicombustíveis Bahia) informou na manhã deste sábado (26) que os 2,8 mil postos do estado estão sem combustível.

“Acabou e não temos perspectiva de reabastecimento. Acredito que nenhum posto de Salvador e da Bahia tenha mais produtos para vender. Em Salvador apenas o posto Petrobras do Stiep tem, mas o combustível de lá está separado para reserva técnica da Polícia Militar para situações de emergências. O agravante é que há serviços essenciais que estão em situação crítica. A Coelba, por exemplo, já está sem produto e não podemos fazer nada”, afirmou Walter Tannus, presidente do Sindicombustíveis.

A paralisação dos caminhoneiros entra neste sábado no sexto dia. Poucos postos ainda têm diesel. Segundo o sindicato há estabelecimentos fechados por falta de produtos desde o dia 23 de maio, gerando um prejuízo incalculável.

“O movimento dos caminhoneiros trouxe à discussão a alta carga tributária dos combustíveis, o que impõe uma solução também para a gasolina, sob pena de outras categorias se mobilizarem trazendo consequências para o abastecimento dos veículos movidos a gasolina e etanol”, afirmou o sindicato.

O Sindicombustíveis Bahia destacou que defende a implementação monofásica do ICMS, estabelecendo valor único em dinheiro, chamado ad rem, para cada produto (gasolina, diesel, etanol) em todo o território nacional. Também, junto com Fecombustíveis, pleiteamos zerar a Cide e o PIS/Cofins para o diesel. Para a gasolina, a proposta é zerar a cobrança da Cide e retornar o PIS/Cofins aos mesmos valores cobrados antes do aumento de julho de 2017, pelo Governo Federal.

“O Governo Federal e o movimento dos caminhoneiros precisam urgentemente chegar a um acordo para que as consequências não sejam mais drásticas ainda, envolvendo a segurança e a saúde da população”, reforçou o sindicato.

Correio da Bahia

Posts relacionados

Bahia tem 877 mil pessoas que deixaram de procurar emprego; esse é o número mais alto em todo o país

Redação Remanso News

Estado começa o recadastramento anual de aposentados de 2015

Redação Remanso News

Sesab inicia ação para aumentar cobertura vacinal

Redação Remanso News

Deputado Estadual Zó participa de reunião na Sesab

Redação Remanso News

Rui Costa autoriza recuperação de 56 quilômetros da BA-335

Redação Remanso News

Muniçipios Recebem Apoio do Estado na Prestação de Serviços de Saúde

Redação Remanso News

Deixe um comentário