Remanso, Segunda, 24 de Setembro de 2018

Anistia internacional condena o uso de força armadas contra a greve dos caminhoneiros

Por Souza Filho
26/05/2018 15:16

A greve dos caminhoneiros chega ao seu sexto dia de paralisação em todo os país. Nesta sexta-feira (25) o governo federal convocou às forças armadas de segurança do país para tentar desbloquear às rodovias brasileiras.

A Anistia Internacional condenou o uso de forças armadas em todo o território nacional, para desocupar as rodovias obstruídas por caminhoneiros em greve é extremamente preocupante.

Para a Anistia o papel das Forças Armadas não é atuar em protestos, manifestações e greves. A liberdade de expressão e manifestação são um direito humano. As partes envolvidas em uma manifestação e as autoridades relevantes devem encontrar um caminho de negociação e uma saída pacífica para os eventuais impasses encontrados. ”Enviar as Forças Armadas é grave erro e pode levar a uma escalada da violência. Além disso, o precedente de convocação e autorização para que as Forças Armadas atuem nacionalmente é mais um passo inadmissível no caminho da militarização da gestão das políticas públicas”,afirma Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional Brasil.

A Anistia Internacional reivindicou ao Governo Federal que recue na sua decisão e que os governos estaduais não lancem mão das Forças Armadas para atuar em protestos e manifestações.

DEIXE SEU COMENTÁRIO