Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
22.3 C
Remanso, BR
25 de março de 2019
Remanso News
  • Home
  • Bahia
  • Bahia: safra de grãos deve ser 0,6% maior que a de 2017
Bahia

Bahia: safra de grãos deve ser 0,6% maior que a de 2017

Estimativa foi divulgada ontem pelo IBGE e se refere a informações de maio

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aumentou a previsão para as safra baiana de 2018. A estimativa divulgada ontem com dados recolhidos em maio aponta para uma colheita de 8.125.214 toneladas de grãos (cereais, leguminosas e oleaginosas), um crescimento de 0,6% em relação à safra de 2017. Em abril, a perspectiva apontada pelo próprio IBGE era a de que o crescimento em relação à safra do ano passado seria de 0,1%.  Na Bahia, a área a ser colhida com grãos também segue em crescimento e deve chegar a 3.088.055 hectares em 2018, 1,5% a mais que em 2017, quando foi de 3.050.718 hectares.

Enquanto na Bahia as estimativas são de uma safra maior neste ano, no País como um todo, a previsão é de uma queda de 5,2% na produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, que deve totalizar 228,1 milhões de toneladas, frente às 240,6 milhões de toneladas de 2017 (menos 12,5 milhões de toneladas). Segundo a estimativa de maio, a Bahia deve contribuir com 3,6% da produção brasileira de grãos em 2018, mantendo-se como oitavo maior produtor. Mato Grosso deverá continuar na liderança, com uma participação de 25,9%, seguido pelo Paraná (16,1%) e Rio Grande do Sul (14,2%).

As informações fazem parte do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado mensalmente pelo IBGE. O grupo de cereais, leguminosas e oleaginosas (grãos) engloba os seguintes produtos: arroz, milho, aveia, centeio, cevada, sorgo, trigo, triticale, amendoim, feijão, caroço de algodão, mamona, soja e girassol.

Algodão

A quinta estimativa da produção nacional de algodão, em 2018, alcançou 4,7 milhões de toneladas, aumento de 4,5% em relação à previsão de abril e 21,6% maior que a safra de 2017 (3,8 milhões de toneladas). A Bahia contribuiu para essa revisão para cima, apresentando o segundo maior aumento, em termos absolutos, na produção estimada de algodão, entre abril e maio: 57,5 mil toneladas. Número menor apenas que o incremento previsto em Mato Grosso (+144,7 mil toneladas).

Assim, a safra baiana de algodão 2018 está estimada em 1,1 milhão de toneladas, 5,7% maior que a prevista em abril e 29,0% superior à safra de 2017 (833,5 mil toneladas).

No estado, o aumento na estimativa da produção é resultado, principalmente, da ampliação de 1,6% na área plantada, de abril para maio. Ela deve chegar a 264,2 mil hectares neste ano, 29,4% maior que a área plantada em 2017 (204,1 mil hectares). Além disso, o rendimento médio previsto em maio (4.070 kg/ha) ficou 4,0% acima da estimativa de abril – embora ainda esteja levemente abaixo (-0,3%) do verificado no ano passado (4.084 kg/ha). O clima – regime de chuvas – também tem beneficiado as lavouras no Oeste baiano.

A Bahia é o segundo maior produtor de algodão do Brasil e deve responder por 23,0% da safra nacional do produto em 2018. Mato Grosso lidera, representando 66,8% da estimativa da produção.

Café

Estimativa da produção de café canephora (conillon) no estado cresce 38,2% de abril para maio, mas ainda deverá ser 3,6% menor que a de 2017
Estimada em 3,4 milhões de toneladas, ou 57,1 milhões de sacas de 60 kg (aumento de 3,2% em relação a abril), a produção brasileira de café (total) deverá ser recorde em 2018 e 23,3% maior que a de 2017. O rendimento médio aumentou 3,3%, de abril para maio, em decorrência do clima.

A produção do café arábica deve ser de 2,6 milhões de toneladas (43,4 milhões de sacas de 60 kg) e teve aumento de 2,9% em relação ao previsto em abril, com o rendimento médio em alta de 3,2% de um mês para o outro.

Para o café canephora (conillon), a estimativa da produção está em 822,0 mil toneladas (13,7 milhões de sacas de 60 kg), 4,1% maior que a previsão de abril. Neste caso, o destaque coube à Bahia, que elevou sua estimativa da produção para 117 mil toneladas (1,9 mil sacas de 60 kg), aumento de 38,2% em relação a abril.

A abundância e boa distribuição das chuvas favoreceu a produção no Estado. O rendimento médio teve aumento de 29,5%, de abril para maio, chegando a 2.438 kg/ha. Ainda assim, ainda está 1,5% menor que o de 2017, o que, ao lado da redução de 2,0% na área plantada, de um ano para o outro, contribui para que a safra prevista para 2018 ainda esteja 3,6% menor que a colhida em 2017 (121,4 mil toneladas).

Outras lavouras

Das 26 safras de produtos investigadas pelo LSPA na Bahia, 12 devem ter crescimento neste ano, em relação a 2017.

No estado, as produções com previsão de maior crescimento, em termos absolutos, são as de cana-de-açúcar (+1,4 milhão de toneladas ou +44,8%), algodão herbáceo (+241,8 mil toneladas ou +29,0%) e milho 1ª safra (+97,3 mil toneladas ou +6,4%). Por outro lado, as safras com maior estimativa de queda, em toneladas, são as de mandioca (-251,2 mil toneladas ou -12,1%), laranja (-177 mil toneladas ou -17,6%) e o milho 2ª safra (-166,2 mil toneladas ou -32,1%).

Correio

Posts relacionados

Roubo de cargas sobe 105% em 6 anos em estradas da Bahia, aponta pesquisa

Redação Remanso News

Sesab inicia ação para aumentar cobertura vacinal

Redação Remanso News

Juiz renova lei que pune pais de alunos que ‘matam aula’

Redação Remanso News

Detran leiloa carros com até 70% de desconto em juazeiro e mais cinco cidades da Bahia

Redação Remanso News

Micareta de Remanso 2015 Esta Confirmado

Redação Remanso News

Deputado Estadual Prisco acusa alto escalão da PM de fazer escolta particular para Banco do Brasil

Redação Remanso News

Deixe um comentário