Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
22.3 C
Remanso, BR
25 de março de 2019
Remanso News
  • Home
  • Destaque
  • Inadimplência representou 38,27% do custo do crédito em 2017, aponta BC
Destaque Sento-Sé

Inadimplência representou 38,27% do custo do crédito em 2017, aponta BC

De acordo com o Relatório de Economia Bancária (REB), publicado pelo Banco Central (BC), o lucro dos bancos cresceu no ano passado. Isso porque, a inadimplência de cidadãos e empresas foi responsável por 38,27% do spread do Indicador de Custo de Crédito (ICC) em 2017. Ou seja, o lucro dos maiores bancos do País subiu 14,6%, para R$ 57,63 bilhões, na comparação com R$ 50,29 bilhões em 2016.

Conforme apresentado no relatório, esse índice foi superior ao que foi apresentado em 2016, onde o custo da inadimplência representava 38,57% do spread.

O Banco Central informou que a alta do valor está relacionada diretamente ao valor praticado nas taxas de juros, quanto maior a taxa de inadimplência, “maior a taxa de juros necessária para cobrir a perda com a inadimplência”. “Quanto maior o prazo das operações de crédito, menor a taxa de juros necessária para cobrir a perda com a inadimplência”, informou.

Sendo assim, a instituição financeira afirmou que a inadimplência é principal responsável para definição do custo do crédito, correspondendo por 38,27% do total no ano passado, seguida pelas despesas administrativas responsáveis por 25,55% do spread do ICC no ano passado, ante 24,23% em 2016. Já o custo com tributos e Fundo Garantidor de Crédito (FGC) representou 22,13% do spread, sendo que em 2016 a fatia era de 22,79%.

O BC utiliza o ICC como um indicador que reflete o volume de juros pagos, em reais, por consumidores e empresas no mês. Em resumo, o indicador é o reflexo direto da taxa de juros média efetivamente paga pelo brasileiro nas operações de crédito. Já o spread diz respeito à diferença entre o custo de captação dos bancos e o que é efetivamente cobrado do consumidor final.

A Tarde

Posts relacionados

Lula foi repreendido pela PF por aceno ao deixar cemitério

Redação Remanso News

Marcelo das Loterias Paraíba entrega cestas básicas para famílias carentes em Remanso

Redação Remanso News

Desembargador condena ex-prefeito Isaac Carvalho por contratação ilegal; Defesa diz que vai recorrer

Redação Remanso News

Projeto de interligação Tocantins-São Francisco é aprovado por unanimidade na CCJ e segue para o Senado

Redação Remanso News

Inep divulga notas de 961 escolas ‘excluídas’ de ranking do Enem

Redação Remanso News

Crise econômica faz cachês de cantores despencarem

Redação Remanso News

Deixe um comentário