Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
26.7 C
Remanso, BR
24 de janeiro de 2019
Remanso News
  • Home
  • Destaque
  • MPE pede cassação de Professor Alcides por ação ilegal envolvendo a Unifan
Destaque Política

MPE pede cassação de Professor Alcides por ação ilegal envolvendo a Unifan

A procuradoria pede a cassação do diploma do futuro parlamentar por prática de abuso de poder econômico e captação e gasto ilícito de recursos.

O Ministério Público Eleitoral (MPE) de Goiás apresentou Ação de Investigação Judicial Eleitoral e Ação de Impugnação de Mandato Eletivo contra o deputado federal eleito Alcides Ribeiro Filho, o Professor Alcides (PP-GO). A procuradoria pede a cassação do diploma do futuro parlamentar por prática de abuso de poder econômico e captação e gasto ilícito de recursos. As informações são do Estadão.

Professor Alcides foi o nono candidato a deputado federal mais votado em Goiás, com 88.545 votos.

Segundo o procurador Alexandre Moreira Tavares dos Santos, Professor Alcides teria utilizado duas de suas empresas – a Faculdade Alfredo Nasser (Unifan) e o “Bazar Professor Alcides” – para promoção pessoal durante a campanha. A ação ilegal era realizada durante eventos assistencialistas que promoviam cortes de cabelo, consultoria jurídica e exames médicos gratuitos em diversos municípios de Goiás.

“É preciso contextualizar que este tipo de conduta desequilibra sobremaneira a igualdade na disputa, dando força para o uso do poder econômico na fase de pré-campanha, cujos recursos financeiros empregados nem sequer podem ser fiscalizados”, afirma Alexandre Moreira.

Durante a prestação de contas da campanha, o procurador também verificou ‘irregularidades graves’ envolvendo a apresentação ‘incompleta’ de extratos bancários e documentos sobre o uso de recursos do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha, além de omissão de despesas que poderiam ‘evidenciar prática de caixa dois’ e extrapolação ‘vultosa’ do teto de gastos da campanha.

De acordo com Alexandre Moreira, as irregularidades apontam para ‘gasto ilícito de recursos muito acima do permitido legalmente’, o que configuraria abuso de poder econômico. O procurador cita decisão do Tribunal Regional Eleitoral, que desaprovou as contas de Professor Alcides por unanimidade.

Além da cassação do diploma, o Ministério Público Eleitoral exige a inelegibilidade do Professor Alcides por oito anos.

Com a palavra, a defesa

A reportagem busca contato com a defesa do deputado federal eleito Professor Alcides. O espaço está aberto para manifestações.

Estadão Conteúdo

Posts relacionados

Ex-presidente Lula pede prisão de Sérgio Moro por abuso de autoridade

Redação Remanso News

Oi não poderá cobrar ligações feitas em orelhões de Remanso e demais municípios da Bahia e mais 14 estados confira a lista

Redação Remanso News

Desempregados tentam salvar o ano trabalhando pela 1ª vez de papai noel

Redação Remanso News

Pesquisa aponta que 94% dos eleitores não se sentem representados por Daniel Bramatti | Estadão Conteúd

Redação Remanso News

Artistas Baianos se unem em ato pelo ‘fora Temer’ e pelas ‘diretas já’

Redação Remanso News

Nas alegações finais, Lula nega ser dono do sítio de Atibaia

Redação Remanso News

Deixe um comentário