Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
24.7 C
Remanso, BR
17 de junho de 2019
Remanso News
  • Home
  • Destaque
  • MPE pede cassação de Professor Alcides por ação ilegal envolvendo a Unifan
Destaque Política

MPE pede cassação de Professor Alcides por ação ilegal envolvendo a Unifan

A procuradoria pede a cassação do diploma do futuro parlamentar por prática de abuso de poder econômico e captação e gasto ilícito de recursos.

O Ministério Público Eleitoral (MPE) de Goiás apresentou Ação de Investigação Judicial Eleitoral e Ação de Impugnação de Mandato Eletivo contra o deputado federal eleito Alcides Ribeiro Filho, o Professor Alcides (PP-GO). A procuradoria pede a cassação do diploma do futuro parlamentar por prática de abuso de poder econômico e captação e gasto ilícito de recursos. As informações são do Estadão.

Professor Alcides foi o nono candidato a deputado federal mais votado em Goiás, com 88.545 votos.

Segundo o procurador Alexandre Moreira Tavares dos Santos, Professor Alcides teria utilizado duas de suas empresas – a Faculdade Alfredo Nasser (Unifan) e o “Bazar Professor Alcides” – para promoção pessoal durante a campanha. A ação ilegal era realizada durante eventos assistencialistas que promoviam cortes de cabelo, consultoria jurídica e exames médicos gratuitos em diversos municípios de Goiás.

“É preciso contextualizar que este tipo de conduta desequilibra sobremaneira a igualdade na disputa, dando força para o uso do poder econômico na fase de pré-campanha, cujos recursos financeiros empregados nem sequer podem ser fiscalizados”, afirma Alexandre Moreira.

Durante a prestação de contas da campanha, o procurador também verificou ‘irregularidades graves’ envolvendo a apresentação ‘incompleta’ de extratos bancários e documentos sobre o uso de recursos do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha, além de omissão de despesas que poderiam ‘evidenciar prática de caixa dois’ e extrapolação ‘vultosa’ do teto de gastos da campanha.

De acordo com Alexandre Moreira, as irregularidades apontam para ‘gasto ilícito de recursos muito acima do permitido legalmente’, o que configuraria abuso de poder econômico. O procurador cita decisão do Tribunal Regional Eleitoral, que desaprovou as contas de Professor Alcides por unanimidade.

Além da cassação do diploma, o Ministério Público Eleitoral exige a inelegibilidade do Professor Alcides por oito anos.

Com a palavra, a defesa

A reportagem busca contato com a defesa do deputado federal eleito Professor Alcides. O espaço está aberto para manifestações.

Estadão Conteúdo

Posts relacionados

Remanso: Homem comete suicídio por enforcamento

Redação Remanso News

Monitoramento de Qualiade da Água é Realizado Pela 4ª Vez na Br-235/Ba

Redação Remanso News

Bolsonaro já busca executivos do setor privado para governo e estatais

Redação Remanso News

VIVO Sem avanços nas negociações, não existe previsão de volta do sinal da operadora no município de Remanso e região

Redação Remanso News

Até quarta (14), agências da Caixa abrem mais cedo para saques do FGTS

Redação Remanso News

Juiz diz que médium João de Deus chefiava quadrilha

Redação Remanso News

Deixe um comentário