21.1 C
Remanso, BR
18 de julho de 2024
Remanso News
  • Home
  • Destaque
  • Aneel aprova reajuste médio de 3% na tarifa de energia da Coelba
Destaque

Aneel aprova reajuste médio de 3% na tarifa de energia da Coelba

Para clientes residenciais o aumento será de 2,77%

A conta de energia elétrica vai ficar mais cara para os baianos. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) definiu hoje (18) as novas tarifas aplicadas pela Coelba, que entram em vigor a partir do dia 22 de abril, com um aumento médio de 3%. A mudança, de acordo com a concessionária, deve começar a ser percebida pelos quase seis milhões de clientes nas faturas recebidas a partir de maio. Para os consumidores residenciais, o aumento da tarifa será de 2,77%. No caso dos clientes industriais e comerciais de médio e grande porte, o reajuste médio será de 3,5%.

Segundo a Coelba, a concessionária encaminha para a Aneel as informações necessárias para o cálculo da tarifa, mas o reajuste segue uma fórmula em que a parcela referente ao serviço de  distribuição é atualizado. Além dos valores fixados pela Aneel, também são cobrados na conta de energia os impostos, como ICMS, PIS e Cofins, além das Bandeiras Tarifárias.
Este mês, por exemplo, a bandeira vigente é a Vermelha Patamar 1, que aumenta R$ 3 a cada 100kWh. Nas contas de luz, os consumidores ainda pagam a  Contribuição de Iluminação Pública (CIP), que é repassada às prefeituras municipais.

Impacto do aumento

Apesar do valor estar abaixo da inflação, que fechou o ano de 2016 em 6,29%, o reajuste não foi visto com bons olhos pelo segmento industrial. “O setor tem registrado decréscimo na produção dos últimos anos por conta da crise. Nesse contexto, qualquer aumento é negativo. É um aumento que vai incidir em uma atividade econômica que ainda está deprimida”, pontua o coordenador do Conselho de Infraestrutura da Federação das Indústrias do Estado da Bahia – Fieb, Marcos Galindo.

O quanto o reajuste pode representar no produto final, de acordo com o coordenador, vai depender de quanta energia é utilizada na industrialização daquele produto. “Nesse sentido, as indústrias de mineração, celulose, petroquímica e de panificação devem ser mais impactadas, porque têm um componente de uso de energia mais elevado”, explica.

Reajustes de  energia na Bahia – Infogram, charts & infographics

A presidente do Movimento das Donas de Casa e Consumidores da Bahia (MDCCB), Selma Magnavita, também criticou o reajuste. “O consumidor já não suporta mais tanto aumento e, no caso da energia, acaba sendo um efeito em cadeia, que sai aumentando todos os demais produtos. A quantidade de imposto que pagamos também é absurda. Energia é um serviço essencial”, disse Selma, que recomenda que os consumidores utilizem a energia com inteligência e criatividade. “Para driblar o alto custo da conta de luz, é preciso tirar os aparelhos das tomadas e desligar o chuveiro quente quando o tempo está mais quente”, reforça.

Composição da tarifa
Segundo a Coelba, do valor cobrado na fatura,  25,7% ficam na concessionária para cobrir custos de operação, manutenção, administração do serviço e investimentos. Os impostos e encargos, como ICMS, PIS, Cofins, taxa de fiscalização da Aneel e outros tributos representam 36,8% da tarifa. Despesas com a compra e transmissão de energia correspondem a 37,5% da tarifa.

Correio

Posts relacionados

SAAE Casa Nova vai fazer intervenções no sistema de abastecimento de Bem Bom

Redação Remanso News

Prefeito Zé Filho, vai inaugurar mais uma Escola na zona rural do município

Redação Remanso News

Primeiro Cartão Reforma será entregue nesta quarta-feira (19)

Redação Remanso News

Templo da Boa Vontade completa 29 anos com eventos destinados à família

Redação Remanso News

Covid-19: Varredura encontra 3,7 mil ventiladores pulmonares quebrados em todo pais

Redação Remanso News

Afonso é o novo prefeito de Pilão Arcado

Redação Remanso News

Deixe um comentário