Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
22.3 C
Remanso, BR
25 de março de 2019
Remanso News
  • Home
  • Bahia
  • Detalhes: Advogado de deputado Roberto Carlos pode recorrer de decisão do TJ-BA
Bahia

Detalhes: Advogado de deputado Roberto Carlos pode recorrer de decisão do TJ-BA

O advogado do deputado estadual Roberto Carlos, João Daniel Jacobina, afirmou que vai esperar a publicação do acórdão do recebimento da denúncia contra o parlamentar para analisar se cabe recurso. Cabendo, o advogado afirma que o fará. O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), na manhã desta quarta-feira, reconheceu que houve um erro de apuração dos votos e que ao final, ficou constatado que os desembargadores, por maioria, decidiram pelo recebimento da ação penal contra o deputado investigado na Operação Detalhes. A operação foi deflagrada a partir de um relatório que identificou movimentações financeiras atípicas. A defesa alega que as provas são ilícitas, invocando a Teoria do Fruto da Arvore Envenenada.

A partir do recebimento da ação penal, o acusado será citado e a instrução do processo será iniciada, com oitiva de testemunhas de acusação, testemunhas de defesa. Posteriormente, as partes apresentam as alegações finais e o relator pede inclusão do processo em pauta de julgamento. Como o acusado é parlamentar e o crime foi cometido no curso do mandato, o caso será julgado no Pleno do TJ-BA. Após os votos dos desembargadores, é publicado o acórdão pelo autor do voto que prevaleceu para condenar ou absolver o acusado. O julgamento pelo recebimento da ação penal foi iniciado em setembro de 2017 (veja aqui), com novo pedido de vista em abril de 2018 (veja aqui). 

ENTENDA O CASO

A operação foi deflagrada em abril de 2012, com mandados de busca e apreensão na AL-BA, em Juazeiro, Uauá e Petrolina. A denúncia foi baseada em um Relatório de Inteligência Financeira do Conselho de Controle de Atividade Fiscal (Coaf). O relatório aponta que o deputado usava servidores “laranjas” e que os rendimentos do parlamentar, em grande parte, eram repasses que permitiram o aumento do patrimônio, “de forma incompatível com sua própria renda” (. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), durante a investigação, foram registrados depósitos em dinheiro que totalizam R$ 203,5 mil. Os servidores recebiam de R$ 3 mil a R$ 8 mil. O valor não foi declarado à Receita Federal, o que se caracterizou como crime tributário, desvio de verba pública e crime de peculato – quando um agente público se apropria de um dinheiro, valor ou bem em razão do cargo, ou desviá-lo em proveito próprio ou alheio. Neste último caso, o crime foi caracterizado pelo fato de o deputado usar recursos que deveriam ser pagos aos servidores da Assembleia.

BN

https://www.bahianoticias.com.br/justica/noticia/60316-detalhes-advogado-de-deputado-roberto-carlos-pode-recorrer-de-decisao-do-tj-ba.html

Posts relacionados

Governo atrasa pagamentos do PAC; empresas na BR 235 na Bahia foram prejudicadas

Redação Remanso News

Projeto sobre fruticultura de sequeiro é apresentado para secretários dos municípios do território do São Francisco

Redação Remanso News

Na Bahia, secretaria convoca 300 professores aprovados em seleção Reda

Redação Remanso News

Após quase um mês do anúncio, Josias, Cibele e Carlos Martins são nomeados secretários

Redação Remanso News

Debate na Record: Zé Ronaldo mostra que a Bahia tem os piores índices sociais do Brasil

Redação Remanso News

Após entregar chave da cidade a Deus, prefeito baiano pede desculpas

Redação Remanso News

Deixe um comentário