Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
32.6 C
Remanso, BR
21 de setembro de 2019
Remanso News
  • Home
  • Notícias
  • Após prisões, PF investiga mais seis suspeitos em ataque a Moro
Notícias

Após prisões, PF investiga mais seis suspeitos em ataque a Moro


Moro comentou, pela primeira vez, a prisão de quatro suspeitos de invadir sua conta no aplicativo Telegram Foto: Agência Brasil

Após a operação que prendeu quatro suspeitos de envolvimento na invasão ao Telegram do ministro da Justiça, Sergio Moro, a Polícia Federal investiga um possível envolvimento de outras seis pessoas no caso. Os nomes deles apareceram vinculados às contas utilizadas nos ataques ao ministro, porém, em um primeiro momento, a PF não identificou participação direta deles nos fatos.

A PF informou que mil números telefônicos diferentes podem ter sido alvo da quadrilha suspeita de hackear o aplicativo de mensagens de Moro, e de outras autoridades. O ministro Paulo Guedes (Economia) e a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) também podem estar entre as vítimas. 

“Aparentemente, mil números telefônicos diferentes foram alvo desse mesmo modus operandi dessa quadrilha. Há possibilidade, ainda não temos uma identificação e nem começamos a fazer isso, mas há possibilidade de um número muito grande de possíveis vítimas desse mesmo tipo de ataque que está sendo investigado agora”, disse o coordenador geral de Inteligência da PF, João Vianey Xavier Filho. 

A PF apresentou ao juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, um relatório de diligência no qual listou os e-mails destas seis pessoas, que estavam vinculados às contas dos usuários do sistema BRVOZ das quais partiram os ataques. 

Com base nesse documento, a PF solicitou o afastamento do sigilo telemático desses e-mails, para acessar seu conteúdo e apurar se os outros alvos também estão envolvidos no caso. O juiz Vallisney de Oliveira autorizou a medida e determinou a quebra do sigilo telemático desses e-mails e  revelou que os investigados foram identificados a partir da perícia inicial do telefone celular de Moro. 

Um dos suspeitos, citado pela PF pelo nome de Anderson José da Silva, é o dono de uma das contas a partir da qual partiram os ataques. Apesar de ser o dono da conta, porém, até agora a PF não identificou ter sido Anderson autor de tentativas de invasão – só que sua conta teria sido usada por terceiros para esta finalidade.

A Operação Spoofing foi deflagrada na terça e prendeu temporariamente quatro suspeitos de atuarem na invasão do aplicativo Telegram de Moro e outras autoridades. São eles: Gustavo Henrique Elias Santos, Suelen Priscila de Oliveira, Danilo Cristiano Marques e Walter Delgatti Neto.

Neto, o “Vermelho”, confessou à PF que hackeou Moro, o procurador Deltan Dallagnol e de centenas de procuradores, juízes, delegados federais, além de jornalistas. “Vermelho” acumula processos por estelionato, falsificação de documentos e furto.

O advogado Luiz Delgado, que representa Neto, disse que ainda não teve acesso ao inquérito. “Conversei com ele. Ele tem problemas psiquiátricos. Está atordoado”.

A PF identificou movimentações suspeitas nas contas do ex-DJ Gustavo e de Suelen. Segundo a PF, entre abril e junho de 2018, o ex-DJ movimentou R$ 424 mil. Já nas contas de Suelen, foram identificadas transações de R$ 203 mil, entre março e maio de 2019. 

A PF disse à Justiça que há indícios de incompatibilidade entre a movimentação financeira de Gustavo e Suelen e as rendas declaradas por ambos. 

Antecedentes criminais

Nesta quarta, Moro parabenizou a PF pela prisão dos suspeitos.

“Parabenizo a Polícia Federal pela investigação do grupo de hackers, assim como o MPF e a Justiça Federal. Pessoas com antecedentes criminais, envolvidas em várias espécies de crimes. Elas, a fonte de confiança daqueles que divulgaram as supostas mensagens obtidas por crime”, tuitou o ministro.

Foi o site The Intercept quem, primeiro, divulgou tais mensagens, em junho.

DN

Posts relacionados

Mais uma pessoa morre afogada no Rio São Francisco

Redação Remanso News

Petrobras reduz gasolina em R$ 0,07 e diesel em R$ 0,08 a partir desta terça (09)

Redação Remanso News

Motoristas devem tomar cuidado com excesso de poeira na BR-235/Ba

Redação Remanso News

Em nota, Prefeitura de Petrolina afirma que Ilha do Fogo deve ser de uso público

Redação Remanso News

Curso de Produção Integrada de Uvas acontece em Petrolina

Redação Remanso News

Mais de 90% dos deputados tentarão a reeleição em outubro

Redação Remanso News

Deixe um comentário