Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
24.3 C
Remanso, BR
14 de dezembro de 2019
Remanso News
  • Home
  • Destaque
  • Por unanimidade, TRF-4 eleva pena de Lula no caso do sítio para 17 anos
Destaque

Por unanimidade, TRF-4 eleva pena de Lula no caso do sítio para 17 anos

Os desembargadores do TRF-4 decidiram nesta quarta-feira (27), por unanimidade, aumentar para 17 anos, 1 mês e 10 dias de reclusão a pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do Sítio de Atibaia (SP). A decisão equivale a uma nova condenação de segunda instância contra o petista. Votaram contra a anulação da condenação em primeira instância e pelo aumento da pena os desembargadores João Pedro Gebran Neto (relator), Leandro Paulsen (revisor) e Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz.

Como o STF (Supremo Tribunal Federal) determinou no início do mês que os réus só podem ser presos somente após o fim do processo ou com o esgotamento de todos os recursos, o julgamento do TRF-4 não levará Lula de volta à prisão neste primeiro momento. Na ação, o ex-presidente é acusado de fazer parte de um esquema de pagamento de propina pelas construtoras Odebrecht e OAS em troca de vantagens em contratos na Petrobras. De acordo com o Ministério Público, Lula teria se beneficiado pela reforma no sítio utilizado por ele e sua família em Atibaia no valor de R$ 870 mil.

Na primeira instância, Lula foi condenado pela juíza Gabriela Hardt a 12 anos e 11 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Um dos motivos para o aumento foi a aplicação de um artigo do Código Penal defendido pelo Ministério Público Federal, que a pena deve ser aumentada em um terço quando se trata de crime contra a administração pública praticado de forma a infringir o “dever funcional”.

Em janeiro do ano passado, os mesmos desembargadores confirmaram a condenação de Lula no caso do tríplex do Guarujá. Na ação, o ex-presidente é acusado de receber propina da OAS como forma de reforma de um apartamento de no litoral de São Paulo. No caso que levou o petista para a cadeia, o Tribunal estipulou uma pena de 12 anos e 1 mês de prisão a Lula, também aumentando a punição determinada pelo então juiz Sergio Moro, responsável pelos casos da Lava Jato em primeira instância na época.

Fonte: R7

Posts relacionados

Sobradinho e mais 20 prefeituras têm contas aprovadas pelo TCM

Redação Remanso News

Rio são Francisco: nordeste tem recorde de reservatórios secos; um terço da região enfrenta seca máxima

Redação Remanso News

Vende-se! Fazenda Maringá com excelente localização no município de Remanso

Redação Remanso News

TIM, Vivo, Oi e Claro estão proibidas de comercializar novos planos em Pernambuco por 30 dias

Redação Remanso News

Previsões para o ano novo “Brasil campeão e Bolsonaro presidente” afirmam místicos

Redação Remanso News

Sento-Sé: Assalto e Tentativa de Homicidio em Trasporte Coletivo

Redação Remanso News

Deixe um comentário