Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
32.6 C
Remanso, BR
21 de setembro de 2019
Remanso News
  • Home
  • Brasil
  • Exército libera arma de calibre maior a civil
Brasil Destaque

Exército libera arma de calibre maior a civil

O Comando do Exército publicou, na quinta-feira, 15, portaria que disciplina o decreto das armas do presidente Jair Bolsonaro e define quais calibres passam a ser considerados de uso permitido no Brasil. A lista confirma que civis, agora, podem ter acesso a munições antes classificadas como de uso restrito (9 mm, .40 e .45, por exemplo), mas veta a liberação de fuzis.

A decisão foi comemorada pela maior fabricante de armas do País. “A Taurus terá a oportunidade de oferecer ao mercado brasileiro quase toda a sua linha de produtos, com diferentes tipos de calibres em vários modelos de armas (…) Até então só oferecíamos uma pequena parcela deste portfólio”, afirma a empresa, em nota. “Isso certamente vai incrementar as vendas da companhia.”

Em maio, Bolsonaro assinou decreto que aumentava o rol de armamentos que poderiam ser comprados por cidadãos comuns. Para isso, o governo federal ampliou o limite de energia de disparo de 407 para 1.620 joules, o que permitia acesso a uma série de calibres usados apenas por forças policiais. A regra, porém, provocou polêmica: o aumento da potência abria brecha para obter alguns tipos de fuzis. 

Contestado na Justiça e alvo de derrotas no Congresso, o decreto ganhou novas versões depois. Na última edição, de junho, o governo incorporou regra de que o Exército iria definir, arma a arma, qual deveria ser restrita ou permitida. Esta portaria foi publicada no Diário Oficial da União na quinta.

O Exército manteve parte da ampliação de Bolsonaro, permitindo calibres como 9mm, .40 S&W, .45 Colt e 357 Magnum. Todos eram de uso restrito antes. Por outro lado, decidiu que munições 5.56 mm e 7.62 mm, usadas em fuzil, devem permanecer restritas.

Coordenadora de projetos do Instituto Sou da Paz, Natália Pollachi critica o decreto. “Armas mais potentes, de maior alcance e com mais poder de estrago, vão parar em mãos menos treinadas”, afirma. Já o presidente do Movimento Viva Brasil, Bene Barbosa, avaliou como positivo. “Isso vem para equalizar um pouco a situação do cidadão perante a criminalidade”, diz ele.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Posts relacionados

BA: justiça bloqueia 5 milhões de reais de ex-governador

Redação Remanso News

367 votos a favor e 137 contra: Câmara decide afastar Dilma

Redação Remanso News

Nova regra: Caixa poderá contratar bancário temporário, sem concurso

Redação Remanso News

Servidores da Justiça Eleitoral paralisam atividades

Redação Remanso News

Empresários que não regularizarem situação até dia 31 serão excluídos do simples

Redação Remanso News

Aneel reajusta bandeira vermelha; taxa extra na conta de luz pode subir 43%

Redação Remanso News

Deixe um comentário