Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
27.3 C
Remanso, BR
24 de janeiro de 2019
Remanso News
  • Home
  • Bahia
  • Ações da PF combatem fraudes em licitações na BA; prejuízo chega a R$ 34 mi
Bahia

Ações da PF combatem fraudes em licitações na BA; prejuízo chega a R$ 34 mi

Duas operações de forma simultânea foram deflagradas pela Polícia Federal (PF) na manhã desta terça-feira, 6, no interior da Bahia. As ações, denominadas “Sombra e Escuridão” e “Elymas Magus”, acontecem nas cidades de Aurelino Leal, Camamu, Ibirapitanga, Igrapiúna, Ilhéus, Itabela, Itabuna, Ituberá, Santo Antônio de Jesus, Ubaitaba e Ubatã. Segundo investigações, o prejuízo total chega a R$ 34 milhões.

O objetivo das operações é desarticular duas organizações criminosas responsáveis por fraudar licitações e desvio de recursos públicos na região do sul do estado. Segundo informações da PF, 13 mandados de prisão preventiva e 50 mandados de busca são cumpridos. O órgão federal, no entanto, não informou quantas pessoas já foram presas até o momento.

As investigações foram iniciadas há cerca de 1 ano, quando os policiais tiveram informações sobre novos sócios de empresas situadas em Igrapiúna, que, durante licitações, teriam recebido pagamento de vários municípios. 

Neste período, a PF descobriu que tais empresas não possuíam estrutura para a execução dos serviços e obras contratadas. Além disso, foi confirmado que pelo menos quatro outras empresas foram criadas com o intuito de fraudar licitações. Para isso, usavam nomes de “laranjas”. Os envolvidos também seriam beneficiários do programa Bolsa Família, além de possuírem contratos com obras, locação de veículo e transporte escolar.

A outra organização, com líderes e integrantes múltiplos, agia em parceria com a primeira com o mesmo intuito de fraudar licitações em prefeituras. As investigações apontaram que este núcleo tumultuava os processos de licitação, exigia propina das empresas concorrentes para motivar a desistência das mesmas alegando que abandonariam os contratos após vencer as licitações.

Entre os anos de 2015 e 2017 foram repassadas para as empresas investigadas R$ 34 milhões. Os suspeitos poderão responder pelos crimes de participação em organizações criminosas, fraude a licitação, falsidade ideológica, corrupção passiva e corrupção ativa.

A Tarde

Posts relacionados

Deputado Estadual Prisco acusa alto escalão da PM de fazer escolta particular para Banco do Brasil

Redação Remanso News

577 funcionários pedem demissão do Banco do Brasil na Bahia

Redação Remanso News

PSB tenta atrair Senador Walter Pinheiro

Redação Remanso News

Cinco Muniçipios da Bahia Foram Sorteados para Fiscalização da CGU; Curaçá aparece Na Lista

Redação Remanso News

Muniçipios Recebem Apoio do Estado na Prestação de Serviços de Saúde

Redação Remanso News

Governador definirá auxilio às cidades baianas afetadas pelas chuvas em audiência com o Governo Federal

Redação Remanso News

Deixe um comentário