Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
30.4 C
Remanso, BR
21 de janeiro de 2020
Remanso News
  • Home
  • Política
  • Witzel compara Bolsonaro ao ‘maluco lá da Venezuela’ e critica Guedes
Política

Witzel compara Bolsonaro ao ‘maluco lá da Venezuela’ e critica Guedes

O governador do Rio, Wilson Witzel, criticou o presidente Jair Bolsonaro e os rumos do governo federal em diferentes áreas, incluindo o neoliberalismo representado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Sobre a retórica de Bolsonaro, Witzel disse que ela se compara a discursos de líderes autoritários.

“Típico de (Alberto) Fujimori, (Recep Tayyip) Erdogan, o outro maluco lá da Venezuela…(Hugo) Chávez.” O governador citou o livro Como as Democracias Morrem para embasar sua crítica “É um vocabulário (o de Bolsonaro) de quem não respeita a diversidade de opiniões.”

Durante um café da manhã com a imprensa, convocado para apresentar um balanço do primeiro ano de gestão à frente do Palácio Guanabara, Witzel adotou uma linha que configura sua faceta mais moderada desde que assumiu o mandato. Destacou, por exemplo, a importância de se pensar no social – e, tendo isso como gancho, criticou as propostas de Paulo Guedes, entre elas o pacto federativo, que estariam levando o País a uma “direção equivocada”.

Ao analisar a conjuntura da América do Sul, principalmente a convulsão social chilena, disse ainda que a política econômica de Guedes não pode pensar apenas na contenção de despesas, deixando de lado políticas de bem-estar.

Apesar de tecer uma série de análises sobre o País, com bandeiras cada vez mais ao centro, Witzel não confirmou sua candidatura presidencial em 2022. “Sou candidato a governar bem o Rio de Janeiro”, divagou. Como justificativa para falar tanto sobre o Brasil, lembrou que é presidente de honra do seu partido, o PSC, e que por isso é uma liderança nacional.

O governador comentou, inclusive, que há uma proposta de fusão entre o PSC e o PSL, antigo partido de Bolsonaro. “Estamos analisando, vamos conversar. Temos que avaliar. O PSC tem uma tradição de longa data.”

Por Caio Sartori – Estadão Conteúdo

Posts relacionados

Maioria acha que governo Temer é igual ao de Dilma, aponta pesquisa

Redação Remanso News

Isaac Carvalho não foi diplomado pelo TRE-BA

Redação Remanso News

Rui está convicto na vitória de Haddad: ‘Liberdade que o povo brasileiro quer’

Redação Remanso News

Senado pode antecipar proibição de coligações para pleito do próximo ano

Redação Remanso News

Joaquim Barbosa pode ser vice de Marina em 2018, diz revista Veja

Redação Remanso News

Temer diz que teve conversa “de bom estilo cívico” com Bolsonaro

Redação Remanso News

Deixe um comentário