Remanso, Segunda, 15 de Outubro de 2018

Juazeiro: Morre idosa que esperava por medicamento do Governo do Estado

Por Souza Filho
24/06/2018 12:57

Morreu na noite de ontem (22) a idosa Ismailde Brandão Melo, 69 anos, depois de dois meses internada no Hospital Regional de Juazeiro, a espera de um medicamento que custa, cada ampola, em torno de R$ 2.000,00.

O velório  aconteceu no SAF e o sepultamento está programado para o final da tarde deste domingo (24).

Entenda o caso:

No último dia 7 de junho o site Preto no Branco veiculou uma matéria mostrando o drama vivido pela família de Ismailde Brandão Melo, Juazeirense de 69 anos que há mais de dois meses aguardava o envio de um medicamento pela Secretaria de Saúde do estado da Bahia. Diagnosticada em janeiro deste ano com Síndrome Mielodisplásica, ou Mielodisplasia, uma doença que interrompe a produção de células sanguíneas, a paciente estava com seu estado de saúde prejudicado pela falta do medicamento.

O Vidaza (Azacitidina), um agente que provoca a hipometilação das células doentes da medula óssea, ajudando a medula óssea do paciente melhorar sua função, custa em média, R$ 1850, segundo Danuza Brandão, filha de Ismailde. A paciente precisava tomar 7 ampolas por mês, com intervalo de 28 dias, durante o período de 6 meses.

Sem condições de arcar com os custos, a família acionou a Defensoria Pública da União em março solicitando que o governo do estado da Bahia disponibilize, gratuitamente, o medicamento à paciente. O pedido foi aceito no dia 22 de março pela Juíza Federal Andréa Márcia Vieira que determinou “ao Estado da Bahia, por meio da sua Secretaria de Saúde que providencie, no prazo de 5 (cinco) dias, com utilização de recursos próprios, o medicamento AZACITIDINA – 75mg, pelo período inicial de 06 meses, ou até a regressão da doença, na quantidade necessária à utilização pela parte autora, o que, pelo receituário e relatório médico, corresponde à posologia de uma unidade a cada 28 dias, a ser entregue no Hospital Regional de Juazeiro”. O descumprimento da determinação resulta em multa diária arbitrada em R$ 100,00.

Mais de dois meses se passaram e o medicamento não foi entregue. O estado de saúde de Dona Ismailde só se agravou e desde o dia 14 de maio, internada no Hospital Regional de Juazeiro, ela ainda foi diagnosticada com Leucemia Aguda.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde da Bahia (SESAB) se manifestou sobre a denúncia veiculada no PNB afirmando que “O processo da solicitação do medicamento Azacitidina para a paciente Ismailde Brandão Melo está encaminhado, aguardando que o fornecedor apresente os documentos necessários para que a negociação seja finalizada”. A SESAB disse não informou quando o medicamento deve chegar nas mãos da família de Ismailde.

Na última quinta-feira, dia 21, a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia informou que estava de posse do medicamento e perguntou à família para onde encaminhá-lo.

Não deu tempo, como previu a filha da idosa que desabafou para nossa reportagem  “Não dá para esperar mais por esse descaso. Eles vão enviar a medicação quando? Quando ela morrer? Isso não está certo. Eles não podem agir assim”.

Nossa solidariedade à família enlutada.

Fonte: Preto no Branco

DEIXE SEU COMENTÁRIO